Acupuntura e sagrado femino: como a técnica milenar chinesa pode auxiliar nas disfunções uterinas



Crédito:  Nathália Millen


Da menstruação a disfunções sexuais, a acupuntura é uma grande aliada para prolongar a qualidade de vida das mulheres


Por muito tempo, a mulher viveu à margem da sociedade por conta das peculiaridades que as acompanha. Inclusive, até por visão religiosa, o feminino sempre foi colocado como tabu em diversas culturas no mundo, rechaçando o que há de mais natural e normal nos corpos. O fato de não ser enxergada como ser humano ou apenas alguém que tinha deveres e obrigações perante a sociedade, fez com que as mulheres não procurassem ajuda, não entendessem ou não tratassem de maneira correta disfunções uterinas, levando a um apagamento sistemático de sua figura. Como missão de vida, a acupunturista Juliana de Oliveira Lima vem trazer qualidade de vida para o público feminino de forma prolongada por meio desta técnica.


A acupuntura é uma das mais tradicionais ferramentas da medicina chinesa e foi criada no país asiático, há mais de 500 mil anos. A técnica milenar busca cuidar de uma forma integral do indivíduo, não se atendo apenas ao aspecto físico. Para as mulheres, essa atenção promove um equilíbrio para que as outras áreas envolvidas – emocionais, energéticos e espirituais – estejam em perfeita harmonia, fazendo com essa seja uma ótima ferramenta de prevenção e cuidado com a saúde delas.


“Entender a menstruação como algo natural e necessário, melhorar a maneira de passar por ela sem tormento, entender que os níveis de energia se alteram dependendo da fase do ciclo, as mudanças no paladar, na disposição e no corpo em cada etapa. Quanto mais ligada e ouvindo as transformações e os pedidos do corpo, mais fácil de manter uma vida leve”, afirma Juliana.


A especialista explica que o Yin e o Yang são bases energéticas que mantêm as pessoas vivas e promovem todas as funções e conexões do corpo. De acordo com ela, é essa dinâmica contínua entre esses dois opostos é que geram equilíbrio e promovem os ciclos que vão desde a concepção, a gestação, o desenvolvimento corpóreo, a manutenção da mente, até a desconexão total, o que conhecemos como a morte.


“Atendi e ainda atendo muitas mulheres com disfunções em seus ciclos e algumas patologias específicas do útero. Trabalhei assistindo alguns partos ajudando na indução natural, o que me permitiu acompanhar alguns bebês posteriormente nas suas etapas do início da vida”, frisa a especialista no trato do feminino, da concepção ao parto e na maturidade do ciclo.


No último dia 23 de março, foi comemorado o dia do acupunturista. Neste mês, que os olhos estão voltados para as mulheres, é preciso frisar a importância do cuidado integral da saúde feminina. A acupuntura é um dos caminhos que levam as mulheres ao bem estar e uma vida plena.


“Venho aprofundando cada vez mais os estudos e os atendimentos nessa linha terapêutica: que visa ajudar o entendimentos dos ciclos uterino para uma melhor qualidade de vida independente da idade, trabalhar os transtornos da fertilidade, ajudar a equilibrar as emoções, promover uma gestação saudável e auxiliar no parto e pós parto. Trazendo assim leveza, equilíbrio e conhecimento, para promover uma relação saudável com o seu próprio feminino”, finaliza Juliana Lima.


Onde encontrar


A acupunturista atende no centro clínico norte, Asa Norte, sala 105. Para mais informações, dicas e contato, acesse o perfil no instagram: @juliana.acupunturista.


Postar um comentário

0 Comentários