O
s produtos do agro somaram 242,32 milhões de dólares em exportações,com destaque para complexo carne e soja. O complexo carne representou 45,96% do total exportado pelo setor, somando 111,37 milhões de dólares. Em relação ao acumulado do ano, ou seja, nos meses de janeiro e fevereiro de 2021, a agropecuária contribuiu com 62,97% das exportações totais em Goiás, com 465,66 milhões de dólares

Foto: Paulo Figueiredo.

Entre os produtos do complexo, a carne bovina foi o destaque, com mais de 80,04 milhões de dólares, resultando em 33,03% das exportações totais do agro.

Do total exportado pelo Estado em fevereiro de 2021, 66,6% foram de produtos da agropecuária. É o que revelam os dados divulgados nesta sexta-feira (05/03) pelo Comex Stat do Ministério da Economia e compilados pela Gerência de Inteligência de Mercado da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). De acordo com as informações, foram 242,32 milhões de dólares em exportações do agro.

O complexo carne representou 45,96% do total exportado pelo setor, somando 111,37 milhões de dólares. Entre os produtos do complexo, a carne bovina foi o destaque, com mais de 80,04 milhões de dólares, resultando em 33,03% das exportações totais do agro. Já o complexo soja foi responsável por 29,04% do que foi exportado pela agropecuária, em fevereiro, com 70,38 milhões de dólares. O complexo sucroalcooleiro e couros responderam, respectivamente, por 7,95% (19,27 milhões de dólares) e 6,21% (15,03 milhões de dólares) das exportações do agro no mês passado.

Acumulado
Em relação ao acumulado do ano, ou seja, nos meses de janeiro e fevereiro de 2021, a agropecuária contribuiu com 62,97% das exportações totais em Goiás, com 465,66 milhões de dólares. O complexo carnes responde por 45,92% do total exportado nestes meses, com 213,81 milhões de dólares. Enquanto isso, o complexo soja foi responsável por 21,28%, com 99,08 milhões de dólares.

Segundo o titular da Seapa, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, a agropecuária tem mantido, em 2021, resultados positivos nas exportações totais do Estado, assim como foi em 2020. "Ainda estamos no começo do ano, com a colheita da soja e o plantio do milho safrinha em atividade, mas os números já mostram a importância do setor. Por causa da pandemia da Covid-19, a situação continua crítica para vários segmentos e é o agro que tem fortalecido a economia no País", enfatiza.

Antônio Carlos explica que as exportações representam mais que números. "Com maior volume de exportação, temos mais incentivo para criação de empregos, geração de renda e desenvolvimento nos municípios. São várias cadeias beneficiadas e não só o segmento dentro da porteira. É preciso entender isso, porque se o agro se fortalece, os ganhos são na indústria, no comércio e em toda a sociedade",



O Natal de Brasília teve uma cara especial em 2020. No ano em que a capital federal completou 60 anos e que o mundo foi afetado pela pandemia de Covid-19, o projeto Brasília Iluminada – Capital da Esperança, trouxe a magia e as luzes tradicionais desta época do ano como uma celebração da identidade brasiliense e promoveu atrações especialmente pensadas para crianças e adultos de todas as regiões administrativas



E foi justamente por isso que André Clemente, secretário de economia do Governo do Distrito Federal, recebeu das mãos do jornalista Paulo Melo, presidente da comissão do júri, o prêmio Paulo Melo o prêmio Cidade Iluminada pela iluminação natalina do DF em 2020.

As luzes que encantaram a Esplanada dos Ministérios, passando pela Praça e pelo Palácio do Buriti até chegar à Praça do Cruzeiro. A programação durou mais de um mês.

O secretário de Economia, André Clemente, afirmou que o Governo do Distrito Federal se mobilizou para que o Natal fosse um momento de esperança para a população de Brasília. "Foi um ano difícil, mas um ano que nos fez mais flexíveis, nos tornou maiores e mais resilientes. Esse foi um Natal de luz, que iluminou a cidade, quando todos achavam que não haveria luz nem o que celebrar", disse.

O Brasília Iluminada teve impactos além da beleza e do espírito natalino. Capitaneado pela Secretaria de Economia, o projeto foi construído em conjunto com as secretarias de Turismo, Cultura e Desenvolvimento Social e alcançou vitórias importantes no incentivo à economia local e na geração de renda, além do incremento ao turismo da capital.

No total, foram mais de mil postos de trabalho de forma direta, com 100% mão de obra contratada sendo local. Além das secretarias, o projeto também contou com a participação dos deputados distritais, que garantiram recursos para o financiamento do Natal Iluminado.



A primeira turma de alunos da Escola Superior de Gestão concluirá o curso no final deste ano. Nova formação deve sair no próximo semestre. Proposta prevê a criação de diversos cursos relacionados a dez áreas específicas


Metodologia de ensino utiliza repartições públicas do GDF como salas de aula para melhorar a capacitação dos alunos | Arte: Divulgação/ESG

Eles somam 26 alunos e, no final de 2021, estarão diplomados para gerir com mais capacidade o serviço público no Governo do Distrito Federal. Em mais um passo rumo à criação da primeira universidade pública distrital, a Escola Superior de Gestão (ESG) se prepara para formar a primeira turma do curso de tecnologia em gestão pública.

Voltada a servidores — e com vagas abertas também à sociedade civil —, a formação da ESG aplica metodologia de ensino que, em parte do curso, transforma repartições do GDF em salas de aula. Isso acontece em secretarias associadas à escola, onde os alunos enfrentam a problematização do atendimento e buscam ali a solução para a melhoria do serviço prestado à população.

A servidora Aniele Cavalcante de Carvalho está no terceiro semestre e é uma das alunas a concluir o curso no final do ano. Para ela, todo o conhecimento adquirido na formação já vem sendo aplicado na sua realidade. "Tudo o que venho aprendendo coloco em prática na Secretaria de Saúde, onde exerço um cargo de gerência",  afirma.

"É uma oportunidade de qualificação e desenvolvimento profissional para os servidores, inseridos em uma estratégia de valorização do nosso funcionalismo"André Clemente, secretário de Economia

Nova turma
A ESG funciona por meio de um termo de cooperação técnica firmado entre a Secretaria de Economia (Seec), por intermédio da Escola de Governo (Egov) e a Fundação Universidade Aberta (Funab) do DF. Atualmente há duas turmas em andamento, com um total de 45 alunos. A expectativa é de que uma nova turma seja aberta no próximo semestre.

"É uma oportunidade de qualificação e desenvolvimento profissional para os servidores, inseridos em uma estratégia de valorização do nosso funcionalismo. Iniciativas como essa refletem em melhorias nas entregas e no atendimento à população do DF", avalia o secretário de Economia, André Clemente.

Atenção, estudantes! O Distrito Federal pode ter sua própria universidade. Estão nos planos do governo local criar a Universidade do DF (UnDF), ampliando a oferta e a qualidade do ensino superior público na capital.

O governador Ibaneis Rocha encaminhou à Câmara Legislativa o Projeto de Lei Complementar nº 34/2020, que autoriza a criação da instituição. O tema está em debate entre os deputados distritais, mas assim que aprovado, consolidará o sonho de muitos jovens de ter mais uma alternativa de formação.

Entre os cursos de graduação que poderão ser oferecidos, há novidades voltadas à capacitação tecnológica exigida pelo setor produtivo, além de um reforço de atuação em temas voltados à segurança pública, cidadania e preservação do meio ambiente.

Em todo o DF, existem 66 instituições de educação superior, das quais 62 são privadas e concentram 82% das matrículas de graduação. O cenário apresenta ainda uma grande lacuna de acesso à educação superior para população mais carente.

Segundo dados da última Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad), elaborada pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), enquanto 76% da população de alta renda familiar detém ensino superior completo, menos de 10% da população de baixa renda possui o mesmo nível de educação formal.

Nesse sentido, o projeto do Executivo local seguirá o entendimento da política de ampliar as oportunidades para os alunos da rede pública. O ingresso na universidade distrital será nos moldes da Escola Superior de Ciências da Saúde (Escs) e a Escola Superior de Gestão (ESG), já que ambas serão integradas ao campus.

Ou seja, 40% das vagas da nova universidade serão destinadas a alunos que concluíram a educação básica integralmente na rede pública. A cota racial, prevista na Lei Distrital nº 3788/2006, também será atendida.

Áreas de graduação
Outro dado do Pdad mostra os rumos que o governo local seguiu para propor as áreas de graduação da UnDF. Dados mostram que 75% da população do DF exerce seu trabalho no setor de serviços, sendo este um dos setores mais suscetíveis a passar por processos de automação e robotização nos próximos anos.

"Urge a demanda de modernizar os cursos superiores e qualificar a mão de obra para que ela se adapte e caminhe lado a lado em meio à evolução tecnológica", afirma o governador Ibaneis Rocha. Entusiasta da primeira universidade distrital, o chefe do Executivo acredita que o novo campus vai além de ajudar a ampliar a oferta de ensino superior. "É um cuidado com nossos jovens, com a qualificação de mão de obra e com o desenvolvimento do Distrito Federal", sentencia.  

Conforme o projeto de lei, a nova universidade foi desenhada para atuar nos seguintes campos: Ciências Humanas, Cidadania e Meio Ambiente; Gestão Governamental de Políticas Públicas e de Serviços; Educação e Magistério; Letras, Artes e Línguas Estrangeiras Modernas; Ciência da Natureza e Matemática; Educação Física e Esportes; Segurança Pública e Defesa Social; Engenharia e Áreas Tecnológicas de Setores Produtivos; Arquitetura e Urbanismo; Ciência da Saúde.

Gestão
Apesar de o número de novas vagas ainda não estar definido. O modelo de gestão proposto para a UnDF é de independência. A unidade de ensino superior será autônoma para firmar acordos e convênios com o sistema federal, aderindo inclusive às políticas federais de incentivo.

Haverá também liberdade para que a universidade busque apoio internacional, de acordo com a conveniência e oportunidade. "Essa universidade converge com toda política de inovação que o GDF tem apresentado dentro do seu plano de governo. Hoje, temos plenas condições para iniciar a próxima década implantando uma universidade", aponta Simone Pereira Costa Benck, diretora-executiva da Fundação Universidade Aberta do Distrito Federal, instituição mantenedora do ensino superior no DF.

Casos reais
A grade curricular do curso de tecnologia em gestão pública é alicerçada em metodologias ativas, com foco na aprendizagem baseada em problemas e problematização. Esse método de ensino tem como fundamento o uso de casos reais da administração pública para promover o conhecimento do estudante.

"Trata-se da construção de uma educação superior pública, gratuita e de qualidade, voltada à população do DF e do Entorno"Juliana Tolentino, diretora da Escola Superior de Gestão

"A formação dessa primeira turma, baseada na pesquisa, e a presença desses profissionais com um olhar mais crítico representará o aperfeiçoamento na prestação do serviço público", afirma o coordenador do curso, Yonoré de Melo Barros.

"Trata-se da construção de uma educação superior pública, gratuita e de qualidade, voltada à população do DF e do Entorno", completa a diretora da Escola Superior de Gestão, Juliana Tolentino.



São mais de 80 kgs de "costelão gaúcho no fogo de chão", técnica trazida do sul do país, foram assados na frente de estabelecimento no SIA ou na Vila Planalto




Nada melhor do que passar esse domingo de lockdown saboreando um costelão preparado no fogo de chão. Devido à pandemia, a churrascaria Nativas Grill Brasília precisou inovar e oferecer um tradicional assado gaúcho.

O churrasco ao ar livre foi uma ideia do gestor Renato Loureiro, que decidiu reproduzir no estacionamento de seu estabelecimento, fechado para clientes em razão da quarentena, o tradicional costelão no fogo de chão, popular maneira de se assar carne na região sul do país. De acordo com o gestor da Churrascaria Nativas Grill Brasília, Renato Loureiro, serão cerca de 20 costelões preparados neste domingo. "O trabalho começa cedo. Neste sábado iremos temperar e começaremos a assar no fogo perto das 3h da manhã deste domingo", conta.

Em decorrência da pandemia da Covid-19, funcionários que preparam a carne, todos de máscaras, ficam distanciados do público por uma faixa de contenção. Clientes só podem ir ao local, de carro, para pegar suas porções de carne e voltar para casa.  

A retirada, a partir das 11h, será em formato drive-thru, na  Churrascaria Nativas Grill Brasília  ou na Churrascaria Nativas Grill Esplanada. Os consumidores terão a oportunidade de visualizar os costelões sendo preparados e todo o processo de embalagem para levar para casa. Cerca de 80 quilos de costela serão assados em cada unidade da rede em Brasília, com a tradicional técnica de fogo de chão, em frente a churrascaria, na madrugada deste domingo (07).

Uma porção de 1 kg  de  costelão gaúcho no fogo de chão  custa R$ 89,90.Há anos a população brasiliense tem o hábito de aos domingos reunir a família e os amigos para ir para uma churrascaria, porém diante da pandemia do covid-19 que assola o mundo inteiro, as pessoas acabaram por diminuir aglomerações e ficar na residência está sendo a única opção.

As vendas dos churrascos prontos estão sendo um sucesso nas churrascarias Nativas Grill Brasília e Esplanada. Mesmo com o período de quaresma e da pandemia do covid-19, os brasilienses estão aderindo às vendas. As opções de churrasco variam de costelas bovinas, ripa e suína, frango assado e fraldinha. Os acompanhamentos são vendidos à parte.

Churrasco Delivery Nativas Grill, retire seu pedido na churrascaria ou faça seu pedido e receba na sua casa. Consulte nosso menu completo e taxas de entregas pelos telefones 3038-4680 ou 99695-8441 (WhatsApp); ou peça também pelo iFood. Esse domingo é dia de costelão gaúcho assado no fogo de chão saindo na Nativas. Quantidade limitada, venha garantir a sua.  

Serviço:
Churrascaria Nativas Grill Brasília
Endereço: SIA Trecho 14, Lote 05, (ao lado da loja da Havan de Brasília).
Telefone: 61 3038-4680 ou 99695-8441

  Churrascaria Nativas Grill Esplanada  
Endereço: Setor de Clubes Esportivo Norte, Trecho 2 –Clube Almirante Alexandrino (ao lado do Iate Clube).
Telefone: 61 3306-1112  

O parlamentar está isolado com febre e dores pelo corpo. Trata-se do primeiro caso de reinfecção de um distrital

O deputado distrital Martins Machado (Republicanos) foi infectado novamente pelo novo coronavírus. Segundo o gabinete, o parlamentar testou positivo para Covid-19 nesta quarta-feira (3/3). É o primeiro caso de reinfecção de um parlamentar do DF pela doença.

Martins Machado está isolado, com febre, dores no corpo e tosse. Antes do diagnóstico, o deputado se afastou dos trabalhos e votações na Câmara Legislativa do DF (CLDF). Em julho de 2020, o distrital e a esposa testaram positivo para a doença.

"Na terça-feira, não me senti bem e realizei alguns exames, entre eles o de Covid-19 e, mesmo tomando todos os cuidados, testei positivo novamente. Estou isolado, mas diferente da primeira vez, estou com dor no corpo, dor de cabeça e febre", contou Machado.

Na CLDF, a lista de parlamentares já infectados pela Covid-19 inclui o presidente, Rafael Prudente (MDB); 0 vice-presidente, Rodrigo Delmasso (Republicanos); Iolando Almeida (PSC); Daniel Donizet (PL); Jaqueline Silva (PTB); Hermeto (MDB); Leandro Grass (Rede); Eduardo Pedrosa (PTC) e Cláudio Abrantes (PDT).



Diante de todas restrições e desafios impostos pela pandemia, os Centros de Juventude seguem trabalhando intensamente



Além de todas as turmas que estão em andamento e pensando na capacitação dos jovens, estão abertas as inscrições para Oficina de Panificação e Confeitaria com 30 horas de duração e 3 cursos rápidos, com duração de 6h e 4h voltados para receitas rápidas com ingredientes que temos em casa e de olho na Páscoa para que os jovens além de aprender as receitas possam empreender.

Para Kedson Rocha, Secretário de Juventude do Distrito Federal, mais do que nunca as atividades promovidas pelos CJs têm se mostrado cada vez mais importantes. "Diante de tudo que estamos vivendo, em especial nas últimas semanas com o lockdown, possibilitar aos jovens esse tipo de capacitação é de suma importância porque não estamos falando apenas de ocupar o tempo, mas principalmente de dar oportunidades, não somente de aprender, mas de empreender. Mesmo com todos os desafios impostos pela pandemia, a SEJUV e o Governo do Distrito Federal seguem trabalhando em prol da juventude", declara.

As aulas são ministradas pelo instrutor cultural e chef de cozinha Eduardo Henrique e os requisitos para participação são ter entre 15 e 29 anos, residir no Distrito Federal e possuir recursos necessários para realização do curso à distância.

As inscrições para as atividades dos CJ são feitas no site da organização IECAP – Agência de Transformação Social. Todos os cursos e oficinas ministrados no CJ são gratuitos e terão emissão de certificados para aqueles que concluírem pelo menos 75% das atividades propostas.

SERVIÇO:

LINK PARA INSCRIÇÕES: http://sistemaiecap.com.br/pages/totem/inserir_cadastro.php

Oficina de Panificação e Confeitaria

De 08 de março a 01 de abril

Segunda quarta e sexta

Das 10h as 11h

30 horas de aula

Aulas online via zoom - Gratuito - Com certificado


Curso Rápido Páscoa inesquecível: encante os seus clientes

Dias 15, 17 e 19 de março

Segunda, quarta e sexta

Hora. 15 as 17h

6 horas de aula

Aulas online via zoom - Gratuito - Com certificado


Curso Rápido: Top 3 receitas lucrativas para fazer e sair vendendo

Dias 22, 24 e 26 de março

Segunda, quarta e sexta

Hora. 15 as 17h

6 horas de aula

Aulas online via zoom - Gratuito - Com certificado


Curso Rápido: Top 3 receitas de carnes que cabem no bolso para seu dia a dia ficar saboroso

Dias 29 e 31 de março

Segunda e quarta

Hora. 15 as 17h

4 horas de aula

Aulas online via zoom - Gratuito - Com certificado



A pandemia da Covid-19 pegou o mundo de surpresa no início de 2020 e mudou o cenário das clínicas de Reprodução Assistida, que precisaram repensar a dinâmica de seus atendimentos, adotar novos protocolos de segurança e – durante alguns meses – suspender tratamentos para evitar contaminações. No mês em que celebramos o Dia Internacional da Mulher, a Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA) chama atenção para os desafios vivenciados por médicas e profissionais da área ao longo da epidemia. 

São aprendizados que estão relacionados tanto ao fechamento das clínicas, que trouxe incertezas para médicos e preocupações para pacientes, como também à suspensão de tratamentos e, posteriormente, ao retorno gradual das atividades, que exigiu a adaptação a rígidos protocolos de biossegurança adotados pelos centros de reprodução humana. Paralelamente, médicos e toda a comunidade científica acompanharam as diretrizes das principais sociedades mundiais para obter informações relacionadas à condução dos tratamentos de Reprodução Assistida neste período.

DESAFIOS – Para a médica Maria Cecília Cardoso, um dos primeiros contratempos enfrentados foi o de comunicar às pacientes sobre a necessidade de suspender o tratamento e adiar um pouco o sonho da gestação. “Muitas não aceitavam postergar o projeto de maternidade, mesmo com a alternativa de criopreservar o material (óvulos ou embriões) para ser utilizado em um momento mais seguro”, diz. 

Médica formada há 32 anos, atua há 27 anos na área da Reprodução Assistida como embriologista e, nos últimos 10 anos, principalmente como gestora do laboratório. A especialista certificada pela SBRA ressalta que, além das dificuldades que surgiram no início – com a suspensão dos tratamentos –, outros desafios vieram a partir da retomada gradual das atividades. 

“Revisamos todos os protocolos, estudamos e trabalhamos na melhoria do sistema de dados, a fim de otimizar nossa rotina de trabalho. Isso sem falar no desafio de conseguir o apoio de pacientes e funcionários no plano de retomada, com todas as restrições e novos protocolos de contingência que, atualmente, são necessários”, revela.

Assim como Maria Cecília, Rose Marrie, psicóloga com 40 anos de atuação clínica, acredita que as dificuldades do momento abriram oportunidades para a formação dos profissionais e para o compartilhamento de informações. Ela ressalta que a crise da Covid-19 fez com que, em função da desinformação, pacientes tivessem medo de engravidar. 

“Na área de Psicologia, ocorreram encontros, jornadas, lives e outros eventos, tudo para acolher as necessidades das pessoas e levar mais conhecimento e segurança para todos os que buscam a Reprodução Assistida”, afirma. “Com o apoio de plataformas on-line, os profissionais se aperfeiçoaram e puderam participar de vários eventos”, diz.

A psicóloga certificada pela SBRA também chama a atenção para os novos desafios enfrentados pelos profissionais após um ano de pandemia. “As dificuldades vêm se transformando. No início, pacientes e profissionais ficaram inseguros diante do desconhecimento da doença, mas com as orientações das sociedades médicas, como a SBRA, os profissionais criaram meios para minimizar os obstáculos e possibilitar a realização do sonho das pacientes”, explica.

LIDERANÇA – À frente da presidência da Red Latinoamericana de Reproducción Asistida – REDLARA, há 2 anos, Maria do Carmo Borges conta que a extensa rede de apoio que teve ao longo da pandemia tem sido essencial para a condução dos trabalhos no comando da entidade. “É uma grande responsabilidade, mas com o apoio de toda a equipe, felizmente, tudo tem se encaminhado bem. Assim, se a pandemia tem sido um desafio constante, as soluções encontradas também têm sido muito positivas”, acredita.  

De acordo com a médica, apesar das dificuldades e dores trazidas pela pandemia do coronavírus, o momento também abriu espaço para o aprendizado e para crescimento pessoal. “Nos privou de colegas, amigos e de pessoas próximas queridas, mas também extraiu o melhor da nossa capacidade de lutar, de resistir cientificamente, de criar soluções para o bem comum de nossos trabalhos diários”, diz. 

Durante a pandemia, em conjunto com outros médicos, Borges participou da comissão de avaliação dos trabalhos científicos do Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida (CBRA), um dos maiores eventos do setor realizado no Brasil. Mesmo 100% on-line, o congresso foi um sucesso e trouxe aprendizados. “Tenho imenso prazer de ter participado desse evento. Avaliar trabalhos científicos é sentir o termômetro da produção científica de um país ou continente. Apesar da pandemia, que nos trouxe tantas apreensões em 2020, aprendemos a ter mais resiliência, adaptação e criatividade”, ressalta.

FUTURO – Em relação ao que esperam do futuro da área de Reprodução Assistida a partir da vacinação de toda a população, as especialistas estão otimistas. Para elas, o enfrentamento das adversidades como as que vieram com a pandemia possibilitou reflexões importantes para o futuro das pacientes e dos profissionais. “De maneira geral, precisamos ter, além da habilidade técnica, empatia e capacidade de escuta para as necessidades das pessoas em tratamento. Esse processo permite o acolhimento e, consequentemente, o estabelecimento de um vínculo entre profissional e pacientes”, espera Rose Marrie. 

Maria Cecília Cardoso planeja contribuir para tornar o mundo mais sustentável e inclusivo. “Tenho me empenhado em desenvolver mecanismos de logística reversa e aprimorar a gestão de resíduos no laboratório de Reprodução Assistida”, diz. “Espero uma onda de mais consciência e menos negacionismo das pessoas frente às evidências científicas”, finaliza. Já Maria do Carmo espera mais trabalho, mais projetos e mais oportunidades. “Enquanto houver metas e objetivos definidos a buscar, sempre estarei disposta a colaborar”, conclui.

Segundo o presidente interino da SBRA Paulo Taitson é perceptível o aumento da participação de médicas, pesquisadoras e cientistas mulheres em todas as áreas da reprodução assistida. “O número de associadas na SBRA tem crescido muito ao longo dos anos. Inclusive, em 2020, mais mulheres se tornaram sócias do que homens, muitas das quais agregando valor científico de alto nível após terem passado por processo formativo de excelência no Brasil e no exterior”, diz.

Para conhecer outros desafios enfrentados por profissionais da reprodução assistida, acesse o link a seguir: Movimento da Fertilidade


O Curso Básico de Gestão Condominial agora oferece 500 vagas e será virtual, o curso busca fazer com que o participante obtenha a base de conhecimentos, para melhorar a atuação como síndico, podendo também ser síndico profissional de diversos prédios ou somente do seu próprio condomínio, gerenciando os edifícios, com conhecimento e habilidades, diante das obrigações da legislação vigente



As Organizações Cidades e Condomínios, visa proporcionar ao aluno um estudo, na teoria e na prática, dos principais conceitos da gestão condominial, de acordo com a legislação vigente e assim promover uma visão moderna e empresarial da gestão condominial para abordar e explorar situações rotineiras na gestão de um condomínio por um síndico orgânico ou profissional.

No Curso Básico de Gestão Condominial das Organizações Cidades e Condomínios, são apresentadas muitas situações do dia a dia, incluindo as atribuições de um síndico, legislações pertinentes, checklists de manutenção, relacionamento com os condôminos, com os empregados, com as administradoras de condomínios, prestadores de serviço e também como compor seus honorários e definição de carga horária para cada condomínio, além de convocação e condução de assembleias. Curso Online, com Chat Online e com Apostila Digital.

Considerando o atual crescimento imobiliário no Brasil e levando em consideração os mais de 1.347 Edifícios residenciais e comerciais que serão construídos ou ficarão prontos nos próximos 2 anos, e com a falta de moradores interessados em atuar como Síndico, surgiu e está se expandindo no mercado a profissão de Síndico Profissional.

Nas Organizações Cidades e Condomínios, o candidato terá a base necessária para atuar nos mais diversos condomínios, de pequeno e grande porte, condomínio clube, podendo ser Síndicos de vários prédios ao mesmo tempo. Terá ainda noção de mercado, como abordar o cliente e preços. Com o investimento retornando na captação do primeiro condomínio.

Para saber mais:
Para saber mais:

Serviço: Curso Básico de Gestão Condominial para Síndicos Online

Dias de aula: 08, 09, 10, 11 e 12 de março de 2021.

Horário: De 19h às 22h30.

Local: Chat Online e Sala de Aula Virtual Via Zoom.

Chat Online 1: https://chat.whatsapp.com/BT6HRXGpPm87Rb1WAnxMu4

Chat Online 2: https://chat.whatsapp.com/E5gvspWIPPHEPrbTsSCgBc

Investimento: 2 kg de alimento não perecível  (para ser doado no dia da entrega dos certificados).

Informações: 61 3054-0543 | 9 9807-2015.

Inscrições: AQUI | https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdr6Dr3bmgUpJQtm1awA7sO8w4dGU_Wp7zBwJhGxo-33q-sww/viewform

Saber mais: https://www.cidadesecondominios.com.br/2021/03/oportunidade-curso-basico-de-gestao.html

#CursoDe Síndico
#Cidades
#Condomínios



Nesta quarta-feira, 03 de março, os vereadores da Câmara Municipal de Valparaíso de Goiás receberam uma comissão formada pelos comerciantes de bares, restaurantes e food trucks para tratar sobre as restrições determinadas pelo decreto municipal de 01 de março de 2021, que estabeleceu em comum acordo com os municípios da região do entorno e Nota Técnica da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás, medidas restritivas, sendo a principal delas o fechamento dos estabelecimentos comerciais de 20h às 5h e atendimento delivery de 20h as 00h00



Os representantes pediram ajuda e sensibilidade das autoridades municipais para rever as medidas, em atenção às dificuldades econômicas do setor, no entanto, mantendo atenção às exigências sanitárias preconizadas pelo Ministério da Saúde e Secretaria Municipal de Saúde para o combate à covid-19.

Os oito representantes solicitaram ainda atenção à fiscalização mais rígida no comércio diurno. "Nós entendemos que alguns comerciantes não seguem as normas, mas a comissão que está aqui pedindo ajuda de vocês já fez demarcações e está cumprindo com as normas determinadas. Peço o direito de trabalhar, porque estou dentro da norma e, se a fiscalização identificar algum comércio que não está seguindo tem direito de multar, mas, que estejam presentes, cobrando e fechando o comércio que não está respeitando as normas durante o dia também", pontuou Natália Sevilha, proprietária de bar.

O presidente da Câmara de Valparaíso esclareceu que o Poder Legislativo Municipal está participando ativamente das decisões, porém, houve uma determinação do Ministério Público para que as cidades do entorno sul definissem medidas mais rígidas. Placido Cunha destacou que deve formar ainda na tarde desta quarta-feira (03), comissão para apresentar à Administração Pública e ao Ministério Público os argumentos levantados. "Vamos formar uma comissão e solicitar uma reunião com o prefeito, se possível ainda hoje! Vamos pedir também uma audiência com o MP. Nós precisamos achar uma saída, em respeito às famílias e colaboradores que precisam se manter e essa é uma reivindicação justa", completou.

 O vereador Jorge Recife, sensibilizado com a situação, declarou apoio à causa, assim como os demais vereadores presentes. "Sou músico e trabalhador da noite como vocês,  Eu vivo nesse meio. Nós vereadores precisamos enxergar isso que está sendo levantado aqui de forma crítica! Nós precisamos de um sentimento de humanização porque a situação é muito séria, nós estamos lidando com pai e mãe de família que precisa do pão de cada dia", evidenciou.

O vereador Paulo Brito reforçou a importância do comércio e destacou que o Governo Municipal está preocupado em fazer o melhor, atendendo aos anseios da população e comerciantes. "O prefeito flexibilizou as atividades comerciais desde o primeiro momento e não está tomando medidas por si só, mas sim buscando as melhores alternativas para passarmos por este momento tão difícil. Estamos aqui para ajudar vocês".

A vereadora Maria do Monte parabenizou a decisão da comissão de buscar uma resposta por meio do diálogo. "Quero parabenizar a comissão de empresários pela atitude e dizer pra vocês que o diálogo faz a diferença. Quem sabe onde e como essa situação está pesando são vocês. Vocês estão corretos em nos procurar e, quando a gente une as forças: comunidade, empresários e poderes, tudo fica mais fácil", concluiu.
 
Fonte: Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Valparaíso de Goiás.



Estou chocado com a falta de empatia do Presidente com milhões de pessoas que perderam amigos e familiares para a Covid-19


Por Ricardo Amorim

Para ser claro, é responsabilidade do Presidente preocupar-se com a economia e empregos... mas é igualmente responsabilidade do Presidente preocupar-se com a saúde e a vida dos brasileiros.

De qualquer forma, já que ele se preocupa com a economia e os empregos, há várias formas que ele pode ajudar:

1) Parar com o negacionismo da doença e passar a estimular as pessoas a serem cuidadosas. Assim, menos pessoas se contaminarão e haverá menos necessidade de paralisar a economia - que, quando acontece, realmente é péssimo;

2) Enfatizar a importância da vacina e acelerar a compra da vacina para todos os brasileiros, inclusive liberando a importação incondicional para qualquer um que conseguir comprar vacinas para o país. Com mais gente vacinada, cai o número de infectados e hospitalizados e a necessidade de limitações que atrapalham a economia;

3) Acabar com o desequilíbrio das contas públicas, defendendo pública e enfaticamente a Reforma Administrativa, o teto dos gastos públicos, um agressivo programa de privatizações e a Reforma do Pacto Federativo. Com isso, o Brasil atrairia muito mais investimentos e geraria muito mais empregos;

4) Lutar por uma política ambiental que proteja o meio ambiente e ajude o Brasil a atrair investimentos e gerar empregos.

Enfim, há muito a se fazer para ajudar a economia, mas minimizar a dor de quem perde pessoas queridas não faz parte do receituário.

*Ricardo Amorim é o Economista mais influente do Brasil de acordo com a Forbes, maior influenciador brasileiro no LinkedIn e ganhador do Prêmio iBest de Economia e Negócios.



Em São Simão, o presidente Jair Bolsonaro participa da entrega da obra, que tem 172 quilômetros de extensão. Estrutura construída em parceria entre as empresas Rumo e Caramuru Alimentos recebeu investimentos de R$ 80 milhões. "Toneladas de grãos vão chegar ao Porto de Santos numa velocidade menor e com preço mais competitivo", afirma Lincoln Tejota, que representou o governador Ronaldo Caiado na solenidade


O vice-governador Lincoln Tejota, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, durante inauguração de trecho da Ferrovia Norte-Sul, em São Simão. (Foto: Cristiano Borges e Júnior Guimarães)

Representante do governador Ronaldo Caiado, o vice-governador Lincoln Tejota, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, participou, nesta quinta-feira (04/03), da inauguração do trecho de 172 quilômetros da Ferrovia Norte-Sul (FNS) e do terminal de transbordo rodoferroviário para transporte multimodal de cargas, em São Simão, no Sudoeste do Estado. O empreendimento foi anunciado no ano passado por Caiado, que não pôde participar do evento devido a um quadro de infecção. "Eu vim trazer um abraço do governador e o presidente sabe do carinho que ele tem por esse projeto", destacou Tejota. Em Goiás, a estrutura construída em parceria entre as empresas Rumo e Caramuru Alimentos, recebeu investimento de R$ 80 milhões.

A finalização deste trecho da ferrovia vai facilitar o escoamento da produção agrícola goiana e de outras regiões do país. O trecho ficou parado por quase 10 anos. Segundo Bolsonaro, além da parte concluída há previsão de mais obras. "Esse modal ferroviário foi esquecido por décadas. Faltavam 1.500 quilômetros. A previsão é de que, no corrente ano, a Rumo conclua o projeto que vai ligar o Maranhão, Tocantins e Goiás até o Porto de Santos", afirmou.

Em seu discurso, Lincoln Tejota destacou o potencial agrícola do Estado e os benefícios do terminal de transbordo rodoferroviário para a economia goiana. "Goiás é um celeiro que abastece várias nações do mundo. Com o terminal, toneladas de grãos vão chegar ao Porto de Santos numa velocidade menor e com preço mais competitivo. Isso fortalece nosso agronegócio", afirmou o vice-governador.

Em seu discurso, Lincoln Tejota disse que, só no ano de 2020, o agronegócio somou em torno de US$ 6,35 bilhões em exportação, "o que representa 78% de toda a comercialização do nosso Estado de Goiás". Ainda segundo o vice-governador "em 2020, o complexo soja apenas foi responsável por 51,8% do agro em Goiás. Agora, com mais este terminal logístico, a expectativa é que a nossa competitividade aumente".

O vice-governador destacou que "Goiás é o maior produtor de girassóis do país e possui o segundo maior rebanho de bovinos, com 22,8 milhões de cabeças". Citou, também, que "somos o terceiro maior produtor de grãos de soja e milho e ocupamos o quarto lugar na produção de leite e algodão. E temos o sexto maior efetivo de suínos do país com 1,9 milhões de animais e também nos destacamos na produção de galináceos tendo o sexto maior plantel entre os estados brasileiros".

A plataforma será operada pela Rumo, maior concessionária de ferrovias do País com 1.200 locomotivas e 33 mil vagões. Segundo o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, o primeiro trem embarcado com direção ao Porto de Santos sai ainda hoje. "Se pudesse resumir o que eu vejo aqui em uma palavra, diria profissionalismo", afirmou sobre o início da operação. Ele ainda fez menção ao governador como grande "entusiasta" do projeto.

Tarcísio disse que a infraestrutura no País vive uma "revolução". O resultado disso é o crescimento do potencial brasileiro e a atração de investidores. "Os empresários estão confiando no Brasil, por isso, estão fazendo seus investimentos", resumiu. Nesse contexto, o ministro ainda mencionou alguns leilões previstos para este ano. Entre eles, está o da BR-153, no trecho que liga Goiás a Tocantins, no dia 29 de abril. E ainda, o leilão do 5G, de 22 aeroportos e da Ferrovia de Integração Oeste-Leste.

A empresa arrematou os tramos central e sul da Ferrovia Norte-Sul em março de 2019, já tendo aplicado investimentos da ordem de R$ 711 milhões. Com duração de 30 anos, o contrato compreende 1.537 quilômetros entre Porto Nacional (TO) e Estrela D'Oeste (SP), que estarão 100% operacionais até o fim de julho de 2021.

O presidente do Conselho de Administração da Caramuru Alimentos, Alberto Borges de Souza, destacou em sua fala alguns dados. A plataforma poderá movimentar mais de 5,5 milhões de toneladas por ano de soja, milho e farelo de soja, o equivalente a 80 mil caminhões por ano. Com seis silos instalados, o terminal terá capacidade de armazenar até 42 mil toneladas de grãos, descarregar cerca de 850 toneladas por hora (o que alcança 20 mil toneladas de cereais por dia) e carregar até 3 mil toneladas por hora nos vagões de transporte. Estrutura que deve gerar mais de 90 empregos diretos na região. "Este é um presente para São Simão, Goiás e o Brasil, fruto de um bom ambiente regulatório, que favorece o empreendedorismo da Rumo e da própria Caramuru. Parabéns ao ministro Tarcísio e ao presidente da República", afirmou Alberto.

Em 2020, a produção do agronegócio goiano exportou US$ 6,35 bilhões, o equivalente a 78,1% do total comercializado pelo Estado (US$ 8,13 bilhões). O terminal deve acelerar a entrega do que é produzido em Goiás e propiciar a chegada dos grãos até o Porto de Santos, em São Paulo, com preço competitivo no mercado internacional e de forma ágil.

Além disso, o local terá capacidade de receber cargas de outros estados, como Mato Grosso e Minas Gerais. Apesar do terminal estar próximo da fábrica da Caramuru Alimentos, outras empresas que tiverem interesse em direcionar a produção para o Porto de Santo terão a plataforma de transbordo rodoferroviário como opção de alternativa logística.

Também participaram da cerimônia de inauguração o ministro das Comunicações, Fábio Faria; o presidente do Conselho de Administração da Cosan e da Rumo, Rubens Ometto Silveira Mello; o prefeito de São Simão, Assis Peixoto; secretário-geral da Presidência, Onyx Lorenzoni; chefe do gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno; presidente da Cosan, Luis Henrique Guimarães; presidente da Valec, André Kuhn; diretor-geral substituto da ANTT, Alexandre Porto; deputados federais Glaustin da Fokus, João Campos, José Nelto e Magda Mofatto. Além deles, também o secretário executivo da Infraestrutura, Marcelo Sampaio; secretária especial do Programa de Parcerias e Investimentos, Martha Seillier; deputado estadual Cairo Salim; secretário de Estado da Agricultura, Antônio Carlos Neto; secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt; presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral.


Edital publicado nesta quinta-feira prevê R$ 7,8 milhões para atender as unidades de Sobradinho, Setor O e Parque da Vaquejada



A Secretaria de Esporte e Lazer publicou no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta quinta-feira (4), o edital de chamamento público Nº03/2021, que prevê a seleção de Organizações da Sociedade Civil (OSCs) para gerir os centros olímpicos e paralímpicos de Ceilândia (Setor O e Parque da Vaquejada) e Sobradinho.

De acordo com o edital, as entidades serão escolhidas para executar, em parceria com a pasta, o projeto pedagógico voltado para o desporto educacional, de participação e rendimento dos das unidades esportivas.

Será selecionada uma única proposta, que respeite a ordem de classificação e a disponibilidade orçamentária para a celebração do termo de colaboração. O valor de referência estimado para o edital, de R$ 7.831.524,16, será repassado conforme cronograma de desembolso atrelado às metas e etapas constantes no Plano de Trabalho.

O resultado do chamamento público tem validade de 12 meses, não sendo esse o prazo da vigência da parceria.

"Atuamos sempre dentro da legalidade e transparência, diminuindo os custos e aumentando o número de vagas para novos alunos"Giselle Ferreira, secretária de Esporte e Lazer

Entrega das inscrições
Todas as fases do processo de seleção, detalhadas no DODF, devem ser divulgadas no site da Secretaria de Esporte e Lazer e concluídas até maio de 2021, quando a OSC selecionada precisará apresentar a documentação de habilitação. De acordo com a programação, a sessão pública para entrega da ficha de inscrição e da proposta feitas pelas instituições interessadas ocorrerá em 4 de abril.

"Assim como fizemos com as demais unidades esportivas, lançamos esse chamamento público para selecionar uma entidade que atue em parceria com a Secretaria de Esporte e Lazer na gestão pedagógica desses três centros olímpicos e paralímpicos", explica a secretária de Esporte e Lazer, Giselle Ferreira. "E atuamos sempre dentro da legalidade e transparência, diminuindo os custos e aumentando o número de vagas para novos alunos",  reforça.

Na contrapartida por parte da entidade está prevista a organização de uma festa junina para alunos e comunidade de cada unidade esportiva, no mês de junho de 2021, atendendo, pelo menos, 1 mil pessoas. Obrigatoriamente, o evento festivo deverá contar com estrutura em alumínio, locação de mesas e cadeiras, equipamento de som, cama elástica, piscina de bolinhas, barraquinhas de suco, cachorro quente, pipoca, algodão doce, canjica e cural, contratação de brigadistas e serviço de limpeza.

Os pedidos de esclarecimentos, decorrentes de interpretação do Edital e de anexos, deverão ser encaminhados até o dia 9 de março pelo seguinte e-mail: comissaoedital032021@esporte.df.gov.br. Todos os anexos do Edital estarão, em breve, disponíveis na página da Secretaria de Esporte e Lazer.


O Facilita é a oportunidade de ficar em dia com o fisco estadual e ainda obter descontos. medida possibilita regularização de débitos de IPVA e ITCD, com descontos de até 98% em multas por atraso e juros, e de ICMS de até 90% nos juros e 98% nas multas. Secretária da Economia, Cristiane Schmidt informa que novo programa de refinanciamento só poderá ser realizado daqui a 10 anos. "Essa é uma grande oportunidade", destaca.  Tem dúvidas sobre seus débitos junto à Receita Estadual? Ligue para nosso call center da Superintendência de Recuperação de Créditos do Governo de Goiás (62) 3309-6700



O Programa de Regularização Fiscal Facilita já está em vigor em Goiás. Graças à iniciativa do governador Ronaldo Caiado, por meio da Secretaria de Estado da Economia, os contribuintes com dívidas junto à Fazenda Estadual terão a chance de regularizar a situação com descontos históricos em multas por atraso e juros. "É uma sensibilidade do governador por entender que 2020 foi desafiador. Um ano em que as pessoas sofrem bastante", afirmou a secretária Cristiane Schmidt, durante coletiva realizada na Delegacia Regional de Fiscalização de Goiânia.

A titular da Economia explicou que o programa começou no dia (1°/02), e segue até 1º de abril. Ela destacou que, como prevê a lei 20.939, um novo programa como o Facilita só poderá ser realizado daqui a 10 anos.

"Essa é uma grande oportunidade para todos aqueles que não regularizaram seus impostos possam fazê-lo nos próximos dois meses", disse.

De acordo com o programa instituído, poderão ser negociados débitos com o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos (ITCD).

Arrecadação
Segundo o gerente de processos e cobranças da Secretaria da Economia, Reginaldo de Santana, a expectativa é a de arrecadar R$ 550 milhões com as renegociações. "É importante se atentar para os benefícios que serão dados", alertou.

Entre as novidades para este ano está o fato de que o parcelamento será corrigido pela taxa do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic). Com a Selic, além de o valor ser menor do que o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI), a atualização é simples, ou seja, juros simples. Os descontos alcançam quase 100% de abatimento nas multas por atraso e nos juros no pagamento à vista, além da possibilidade de parcelamentos com limites de cinco e 10 anos para a quitação.

Contador há 30 anos, Carlos Alberto Lima comemorou o início do programa. Ele relatou que dois de seus clientes possuem dívidas junto ao Estado que dificilmente seriam pagas sem as facilidades oferecidas por meio da iniciativa. "A gente aguardava há dois anos esse projeto para facilitar a redução dessas multas", disse. "O desconto veio em boa hora. É um presente muito grande neste ano de 2021, tendo em vista essa pandemia em que as empresas ficaram fechadas", acrescentou.

A adesão ao programa é simples: será possível fazer tudo sem sair de casa. Basta acessar o site da secretaria da Economia (www.economia.go.gov.br/Facilita). O atendimento presencial só será possível com agendamento prévio pelo site ou pelo aplicativo Economia OnLine - EON. O app pode ser baixado tanto no sistema IOS quanto Android.

Multas ambientais
Também entrará na negociação os créditos não tributários relativos apenas aos juros e mora, não incidindo no valor da autuação em si, referentes à imputação de multas ambientais emitidas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), julgadas em definitivo até 31 de dezembro de 2020, para as quais não caiba mais recurso, inclusive as inscritas em dívida ativa e em execução fiscal.

IPVA e ITCD
Conforme a lei nº 20.966/2020, os contribuintes com débitos de IPVA e ITCD contraídos até 31 de dezembro de 2020 poderão refinanciar suas dívidas com redutores de até 98% sobre multas formais e nos juros no pagamento à vista, além de parcelamentos de até 60 vezes.

ICMS
Conforme a lei nº 20.939, serão concedidos descontos de até 90% nos juros de débitos de ICMS, e abatimento de até 98% sobre as multas formais e de mora, com fato gerador até 30 de junho de 2020. Em regra, para a maior parte dos contribuintes, o número de prestações estará limitado a 60 vezes. Porém, há casos excepcionais nos quais o parcelamento poderá ser feito em até 120 vezes: 1) Se o contribuinte pagar 20% do tributo na primeira parcela poderá parcelar o restante em até 84 vezes;
2) Se o contribuinte desistir da disputa administrativa a respeito do débito poderá dividir em até 96 meses;
3) Empresas em recuperação judicial, em até 120 parcelas.

O Facilita é a oportunidade de ficar em dia com o fisco estadual e ainda obter descontos. A lei 20.939/20, que institui o programa, permite que outra campanha de regularização fiscal só seja realizada daqui a 10 anos! Não perca essa oportunidade! Tem dúvidas sobre seus débitos junto à Receita Estadual? Ligue para nosso call center da Superintendência de Recuperação de Créditos (62) 3309-6700

O Facilita trata-se do novo programa de regularização fiscal em Goiás, realizado do dia 1º de fevereiro a 1º de abril de 2021. Nesse período, o contribuinte poderá refinanciar débitos do Imposto sobre Operações relativas à Criculação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços (ICMS) com descontos de até 90% nos juros e até 98% na multa por atraso ( lei 20.939/20);  e também no Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e  Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos (ITCD) com abatimento de até 98% nos juros e na multa. Em todos ele há possibilidade de parcelamentos.

Faça tudo automaticamente pelo nosso site! Nos botões verdes à direita, escolha a opção que você deseja! As regras para os descontos estão previstas na legislação e não podem ser alteradas, por isso, NÃO há diferença na efetivação do refinanciamento pela Internet ou presencial. Para o atendimento presencial, é preciso pré agendamento.
 

IPVA - Estão aptos apenas os contribuintes com débito constituído até 31 dezembro de 2020.

Veja como  consultar os débitos do seu veículo:

Se já está vencido o contribuinte deve ir direto no botão verde ao lado "Pagamento à vista/parcelado débitos IPVA". Alertamos ao contribuinte que a Economia só emitirá o débito constituído referente ao IPVA, o licenciamento e o DPVAT devem ser emitidos diretamento no site do Detran, em consulta "Veículos" e quitados conforme as normas do órgão.

 ICMS/ITCD:

Para pagamento à vista do ICMS ou ITCD, você precisa informar o número do seu AUTO DE INFRAÇÃO.
Para saber o número do seu AUTO DE INFRAÇÃO, acesse a opção "Consulta Processos" localizada à direta, nos botões verdes.



Na última quarta-feira (03) o vice-presidente da Câmara Legislativa, deputado Delmasso (Republicanos), encaminhou ao governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), o ofício de n° 033 do Gabinete da Vice Presidência da CLDF, em que apresenta a minuta de Projeto de Lei Complementar que Institui o Fundo Emergencial de Manutenção de Empregos e dá outras providências. O objetivo é que o GDF custeie parte das folhas de pagamentos das empresas que forem obrigadas a fechar neste período de aumento da contaminação pelo novo coronavírus

Foto: Rogério Lopes.

Em virtude do lockdown decretado e considerando os prejuízos causados ao setor produtivo, o deputado Delmasso (Republicanos) encaminhou ao governador do DF, uma sugestão de criação do Fundo de Manutenção de Empregos que tem por objetivo pagar a folha de pagamento dos setores que foram mais atingidos pela pandemia e consequentemente pelo lockdown.

Buscando enfrentar os efeitos econômicos da pandemia da COVID-19, o GDF poderá criar o Fundo Emergencial de Manutenção de Empregos.

Com essa ação poderão ser preservados até 20 mil empregos, beneficiando cerca de 80 mil trabalhadores com carteira assinada. O principal objetivo da medida é reduzir os impactos sociais relacionados ao estado de calamidade pública e de emergência de saúde pública.
 
A minuta de fundo prevê a concessão do Benefício Emergencial de Manutenção de Empregos aos trabalhadores  de: bares, restaurantes, atividades relacionadas à organização de eventos, transporte escolar, vestuário, salões de beleza, esmalterias, barbearias, academias de ginástica e escolas de ensino básico e superior. Custeada com recursos do GDF, essa compensação será paga com recursos arrecadados do ISSQN das agências bancárias.

Forte aliado do governador Ibaneis, Delmasso diz que ainda não conversou com chefe do executivo local, sobre a viabilidade da ideia. "É uma proposta. Precisa ser melhorada, além do custo financeiro de não se adotar medidas agora ser superior, os prejuízos sociais são incalculáveis. É essencial assistir os trabalhadores e auxiliar que os empregadores mantenham os empregos", afirma o distrital.

"Como é de conhecimento de todos a pandemia do Covid-19 alcançou recordes desastrosos para a saúde da população e também para o setor econômico. Empresas privadas foram as mais prejudicadas em razão da necessidade de distanciamento social e do consequente fechamento de suas portas. Estamos vivenciando novamente momento desafiadores e é preciso elaborar maneiras de ajudar todos aqueles vinculados a setores como: bares e restaurantes, eventos, vestuários, academias de ginástica, salões de beleza, esmalterias e barbearias, transporte escolar e instituições de ensino (básico e superior). Como sugestão, as fontes de recurso para manutenção do Fundo podem advir do cancelamento de dotações orçamentárias, de repasses da União e ainda no ISSQN das agências bancárias", comentou Delmasso no ofício.



O Condomínio Dedicado, o aplicativo mais completo para condomínios, vira sensação no Distrito Federal. Facilitando a vida dos síndicos e dos condôminos. Escolha um sistema capaz de otimizar sua gestão e valorizar seu condomínio. O êxito da gestão de um condomínio depende das decisões do síndico. Para realizar uma boa administração, a primeira escolha deve ser o sistema que influenciará diretamente no sucesso gerencial



Com pesquisas e desenvolvimentos constantes permitem oferecer o melhor da tecnologia mundial para o mercado nacional. Garantindo confiança, qualidade e eficiência, além de um excelente custo benefício. Profissionais de alto nível, com anos de experiência em tecnologia, garantem os melhores resultados, somente possíveis com compromisso e excelência característicos do Condomínio Dedicado. 

A tecnologia biométrica da Condomínio Dedicado atende inclusive clientes de grande porte, mesmo com banco de dados de milhares de pessoas cadastradas, permitindo a identificação por biometria em alta velocidade. A Assembleia Virtual do do Condomínio Dedicado é
transparência total na votação. Os votos de todos os participantes são auditáveis e você tem acesso à relação completa para análise em tempo real ou após o encerramento da assembleia virtual.

Tem um aplicativo que vem chamando a atenção de moradores de condomínios no Distrito Federal. Trata-se do Condomínio Dedicado, o mais completo para a gestão e execução de serviços condominiais. O Condomínio Dedicado é uma empresa focada no desenvolvimento de software e soluções em TI, com o objetivo de atender todas as necessidades do seu condomínio, fazendo uma administração simples, rápida e transparente.

Atualmente, o aplicativo tem 200.000 moradores ativos, mais de 60.000 acessos diários e 960 reservas por dia. Cada vez mais os condomínios estão aderindo à modernidade e contratando os serviços do Condomínio dedicado.

A Síndica Profissional da Life Conceito em Gestão Condominial, Elisabeth Velásquez, afirma que ter uma empresa sólida apoiando o condomínio nas suas diversas demandas é primordial. "O Condomínio Dedicado está presente nos prédios em que Administro, levando solução tecnológica e humanizada, sempre considerando a proteção dos dados dos usuários seja para Condomínios de pequeno, médio ou grande porte. Ter ao lado uma empresa sólida, que domina o assunto e que está em constante busca pela inovação, faz toda a diferença".

O aplicativo apresenta novidades para os condomínios, como: Software de Gestão de Condomínios, Controle de acesso, Sistema de Gestão Assembleia Virtual, Portaria Inteligente, Integração com Biometria e Tag Veicular (RFID), Reserva de Espaço e Aplicativo para Moradores.

"Atendimento personalizado para atender às necessidades de gestão e controle de acesso de condomínios que prezam por qualidade e preço justo", Paulo Melo, presidente da ABRASSP Brasil.

A empresa afirma que prestar serviços com inovação e honestidade é valor primordial. O sócio fundador da empresa, Júnior Freitas, afirma que a ideia aqui é facilitar ao máximo a vida do morador. "Além de disponibilizar uma ferramenta para facilitar e automatizar as atividades condominiais cotidianas. Nossa visão é sermos uma empresa, de referência nacional, prestadora de serviços para condomínios relacionados ao controle de acesso e à gestão."

Com o aplicativo do Condomínio Dedicado o colaborador do condomínio poderá cadastrar as ocorrências diretamente pelo seu smartphone. A leitura do código de barras irá agilizar todo o processo de lançamento.

Com a solução de controle de acesso integrada do Condomínio Dedicado, é possível receber notificações em seu smartphone e em seu smartwatch cada vez que sua família entrar no condomínio utilizando a biometria ou quando seu carro fizer a abertura do portão utilizando sistema de tag veicular.

Seja um Síndico Dedicado!
A sede da empresa está localizada na Rua Copaíba, Lote 01, Torre A, Salas 618, 619 e 620, Edifício Century Plaza. Para maiores informações: Telefone fixo (61) 3039-2669; Celular WhattsApp Comercial (61) 99299-3904; E-mail: contato@condominiodedicado.com.br; Site: condominiodedicado.com.br



Vice-presidente da CLDF considera correta a decisão do governador Ibaneis de decretar lockdown e vai estudar medidas para ajudar a economia

Foto: Rogério Lopes.

"É medida difícil, mas correta". Assim, o vice-presidente da Câmara Legislativa, deputado Delmasso (Republicanos), classificou a decisão do governador Ibaneis Rocha (MDB) de decretar lockdown no Distrito Federal a partir deste sábado (27).

Para Delmasso, o brasiliense vai ter que conviver com essas instabilidades enquanto a população não for vacinada. "Só vamos sair da pandemia quando vacinarmos 70% da população", disse.

As medidas adotadas pelo governador, para Delmasso, é uma medida para proteger o sistema de saúde e a população, antes que entre num colapso e mais vidas sejam perdidas. "Essa foi uma decisão que o governador teve que tomar e como muita responsabilidade".

Delmasso se disse, ainda, preocupado com a economia do Distrito Federal. Ele considera que o comércio e o setor de serviços serão os mais afetados. E lembrou da dependência econômica que o DF ainda tem do setor público.

O parlamentar vai sugerir ao Banco de Brasília (BRB) para retomar as medidas adotadas do ano passado de ajuda econômica. A ideia é disponibilizar recursos com taxas mais acessíveis para ajudar o empresariado da capital na manutenção do nível de empregos e evitar que a cidade entre em depressão econômica.

Delmasso alerta que toda crise "serve pra gente crescer" e que é preciso "fazer uma reflexão, até quando a economia do DF vai ser sustentada pelo serviço público".

É importante, segundo o deputado, pensar um projeto de médio a longo prazo para ajudar a alavancar o setor produtivo. No final de janeiro, Delmasso protocolou um projeto de lei criando o Complexo Logístico e de Exportação do DF.

Se a iniciativa for aprovada e entrar em vigor, o governo local poderá conceder incentivos fiscais, financeiros e de crédito para empresas do ramo se estabelecerem na capital federal.

De acordo com a proposta, o complexo abrangeria o Aeroporto Internacional de Brasília, Polo Industrial JK, Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte (SAAN) e Setor de Transporte Rodoviário e Cargas (STRC).

O objetivo da criação do Complexo Logístico e de Exportação, segundo Delmasso, é "fomentar o investimento produtivo de capital nacional ou estrangeiro na área de logística e aumentar a competitividade das exportações do Distrito Federal".

Precisamos atrair empresas, diz o deputado. "Só vamos melhorar a nossa economia atraindo empresas e assim gerar mais empregos e mais impostos, fazendo girar a economia.

Fonte: Portal do Callado.



Paralelamente a processo para definição de novo gestor da universidade, Governo de Goiás vai apoiar reestruturação da unidade de Itumbiara, que oferece curso de Medicina



Nas próximas semanas, a reitoria da UEG convocará sessão plenária do Conselho Superior Universitário para que sejam dados os prosseguimentos ao processo eleitoral. (Foto: UEG)

Após a conclusão das reformas administrativa, pedagógica e curricular, a Universidade Estadual de Goiás (UEG) deverá realizar, até o fim deste semestre, as eleições para a escolha da nova reitoria. A decisão foi tomada na tarde desta terça-feira (02/03), em reunião da reitoria interina e da Comissão de Interlocução da UEG com o titular da Secretaria-Geral da Governadoria (SGG), Adriano Rocha Lima.

" Todo o trabalho que o Governo tinha de fazer para apoiar a universidade foi concluído. Nós liberamos a universidade para fazer eleições e propusemos que eles apresentem um cronograma de convocação das eleições", afirmou o secretário.

A Comissão foi formada na 115ª Sessão Plenária do Conselho Superior Universitário (CsU) para a discussão, junto ao Governo, de assuntos pertinentes à Universidade. Nas próximas semanas, a reitoria da UEG convocará sessão plenária do CsU para que sejam dados os prosseguimentos ao processo eleitoral. Até a data da plenária, a Comissão Eleitoral da UEG deverá apresentar o cronograma das eleições para que seja apreciado.

Durante a reunião, o secretário ainda abordou a questão do curso e do vestibular de Medicina da UEG. "Em paralelo, nós também vamos apoiar a adequação da unidade de ensino de Itumbiara, que possui cursos de Medicina, Farmácia e Enfermagem. Vamos fazer uma grande reestruturação para que esses cursos tenham melhores condições do que têm hoje", destacou.

Ele afirmou, ainda, que o Governo do Estado apoia o curso, mesmo ele tendo sido criado por questões políticas, e que estão sendo feitos todos os esforços necessários para a estruturação do curso e para garantir que os discentes tenham a melhor qualidade de ensino possível.

O reitor interino da UEG, Valter Campos, afirmou que a convocação das eleições só será possível graças à boa relação da reitoria com o Governo. Ele explicou que até o final do semestre será dada continuidade às reformas pedagógica e acadêmica já iniciadas.

Participaram da reunião, o reitor interino e a chefe de gabinete da UEG, professores Valter Campos e Cristhyan Millazo, o procurador da Secretaria-Geral da Governadoria e ex-reitor da UEG, Rafael Borges, e os membros da Comissão, Edson Arantes, Fábio Santa Cruz e André Urcino.

Publicidade

CLIQUE AQUI E VEJA MINA CASA, MINHA VIDA VALPARAISO

Tecnologia do Blogger.