Trabalhadores brasileiros estão sofrendo de esgotamento físico e mental na pandemia

 Ansiedade e depressão são sintomas comuns naqueles que trabalham em áreas essenciais



Síndrome de Burnout é um transtorno psíquico que provoca esgotamento físico e mental. Sua manifestação está diretamente relacionada ao ambiente de trabalho, ou seja, não decorre de outro contexto e não deve ser confundida com cansaço comum, rotineiro. Em razão da pandemia, a saúde mental dos trabalhadores brasileiros foi afetada, evidenciando sintomas como ansiedade e aumento do nível de estresse.


De acordo com o psicólogo e coordenador do curso de Psicologia da Anhanguera, Bruno Ferreira, a Síndrome tem tratamento, que deve ser realizado desde os primeiros sintomas. "É uma condição que merece toda atenção, pois se não tratada adequadamente, podem se desenvolver outras condições de saúde emocional, tais como a depressão e outras manifestações, inclusive, na saúde física", afirma.

De acordo com um levantamento realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a pandemia e o isolamento social afetaram a saúde mental dos trabalhadores que atuam em áreas essenciais. A pesquisa revelou que sintomas de ansiedade e depressão atingem 47,3% desses trabalhadores, no Brasil e na Espanha.

"Nesse período é notório como houve aumento nos relatos de sintomas de estresse e esgotamento, a maioria relacionados à rotina profissional. É importante salientar que as doenças de saúde mental figuram entre as maiores razões de afastamento do trabalho", diz o especialista. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão atinge hoje cerca de 12 milhões de brasileiros e até 2030 deverá ser a doença mais comum no país.

O professor destaca que a pandemia e o isolamento social, associados à sobrecarga de trabalho no home office, fizeram com muitos brasileiros passassem a consumir bebidas alcoólicas diariamente, além das dificuldades no sono. "Houve impacto direto na rotina das pessoas fazendo com que sintomas de ansiedade se manifestassem mais acentuadamente. A pandemia trouxe um cenário de incertezas, além das preocupações com a infecção por Covid-19. Novas rotinas, com adoção do trabalho remoto e aumento da jornada diária, provocam um cenário de pressão e cobranças excessivas. Isso se traduz em sintomas e manifestações na saúde do corpo e da mente", frisa.

Dicas - Bruno faz um alerta: se não tratada, a Síndrome de Burnout pode desencadear outras doenças como hipertensão, complicações cardiovasculares e gástricas. Por isso, é importante manter um alerta sempre que esses sintomas surgirem: cansaço excessivo, dor de cabeça frequente, fadiga, pressão alta, dores musculares, distúrbios gastrointestinais e alterações nos batimentos cardíacos. Confira as dicas do especialista para prevenir e tratar a Síndrome:

Busque ajuda psicológica e psiquiátrica: a psicoterapia é realizada por intermédio de um profissional psicólogo e é um importante instrumento para ajudar na identificação e tratamento de doenças mentais. Já no atendimento psiquiátrico, o médico pode avaliar, dentre outros aspectos, a necessidade do tratamento medicamentoso;

Mantenha uma rotina saudável de sono, respeitando horários, evitando mexer no celular em momentos próximos de deitar-se, e busque dormir pelo menos 8 horas por noite;

Use as ferramentas de produtividade a seu favor: a ansiedade geralmente é uma antecipação frente a uma situação estressante ou perigosa. Assim, quando você se planeja, a chance de ter surpresas ao longo da semana é menor, logo o índice de estresse e ansiedade cai. Use aplicativos para organizar o que você tem a fazer, por urgência e prioridade;

- Respeite o momento de parar: muita gente tem dificuldade em separar a vida pessoal e profissional quando estão em home office. Portanto, é importante respeitar horários de começar e terminar o trabalho, e se desligar de assuntos, e-mails e aplicativos corporativos quando o seu expediente tiver terminado. O seu cérebro agradece;

Faça atividades físicas regularmente: recomenda-se pelo menos 150 minutos por semana;

Aproveite os momentos de lazer, para se desligar do trabalho nas horas vagas: pode ser leitura, passeios ao ar livre ou pedaladas. Algo que te faça bem;

Não tome remédios sem prescrição médica;

Evite consumo de bebidas alcoólicas, cigarros e outras drogas .

Sobre a Anhanguera

Fundada em 1994, a Anhanguera já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação e extensão, presenciais ou a distância.

Presente em todos os estados brasileiros, a Anhanguera presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Anhanguera oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. Em 2014, a instituição passou a integrar a Kroton. Para mais informações, acesse:

Sobre a Kroton

A Kroton, que faz parte da holding Cogna Educação, uma companhia brasileira e uma das principais organizações educacionais do mundo, atende ao mercado B2C do Ensino Superior, levando educação de qualidade em larga escala. Presente em 1.221 municípios em todo Brasil, a companhia conta com 176 unidades próprias, 1.673 polos de ensino a distância e mais de 817 mil estudantes, sob as marcas Anhanguera, Fama, Pitágoras, Unic, Uniderp, Unime e Unopar. Transformar a vida das pessoas por meio da educação, formando cidadãos e preparando profissionais para o mercado, é a missão da instituição, que trabalha para continuar concretizando sonhos em todos os cantos do país. Para mais informações acesse: https://www.kroton.com.br.