Governo interino de Michel Temer quer extingir EBC por gastos elevados

Presidente interino com um mês de Governo, Michel Temer e sua equipe estão com mais um problema para resolver: a Empresa Brasil de Comunicação, controladora da TV Brasil

Segundo o colunista Jorge Bastos, do jornal O Globo, o peemedebista teria encomendado um estudo para encerrar as atividades dos veículos que compõem a estatal.

A medida tem apoio direto do ministro-chefe da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), e do secretário-executivo de Programas e Parcerias do Governo, Moreira Franco, dois homens forte no governo do presidente interino.

Ao Estadão, Geddel afirma que a EBC do jeito que é hoje é apenas um "emblema do aparelhamento do PT no governo", que só gera "desperdício de dinheiro". Atualmente, não é um projeto de Governo extinguir a EBC, mas é notória que a negativa por sua existência é maior hoje.

O representante dos empregados no Conselho de Administração da EBC, Edvaldo Cuaio, comentou que existe desperdício de dinheiro com as demissões e recontratações de profissionais na troca de comando entre os jornalistas Ricardo Melo e Laerte Rimoli - hoje, por decisão judicial, Melo comanda a empresa.

Edvaldo também criticou os contratos de transmissão de jogos de futebol das Séries B, C e D do Campeonato Brasileiro, que somam R$ 17,8 milhões - mesmo que sejam o único atrativo real de Ibope da emissora hoje.

Procurado, o atual presidente da EBC, Ricardo Melo, preferiu não comentar o projeto de extinção da empresa, e consequentemente da TV Brasil.

Estima-se que, por ano, somente a TV Brasil custe cerca de R$ 500 milhões aos cofres públicos.