Confira dicas para diferenciar os sintomas da dengue e da gripe

Teste rápido, PCR ou sorologia: entenda a função de cada exame de dengue - Foto: Lúcio Bernardo Jr. / Agência Brasília

Especialista alerta sobre importância do diagnóstico médico para seguir o tratamento adequado e destaca risco da automedicação


Por Yara Aquino - Agência Gov*

A dengue e a gripe têm sintomas muito parecidos como febre, dor de cabeça e mal-estar, o que torna difícil diferenciar as duas doenças. Por isso, é preciso prestar atenção às características que podem ajudar na identificação de cada uma delas, como a presença de sintomas respiratórios que são comuns no caso de gripe.

"Os sintomas da dengue, da Influenza, que é o vírus causador da gripe, e da Covid-19, são muito semelhantes entre si, o que vai diferenciar é a presença de sintomas respiratórios. A dengue não causa sintomas respiratórios, enquanto a gripe e a Covid-19 costumam ter com muita frequência esses sintomas respiratórios como tosse, congestão nasal, nariz escorrendo. Então, os sintomas respiratórios tendem a predominar nas infecções por Influenza e Covid-19", explicou o infectologista do Hospital Universitário de Brasília (HUB), André Bon.

Tanto a dengue quanto a gripe são causadas por vírus, mas têm formas de transmissão diferentes. A dengue é causada pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. Normalmente, a primeira manifestação da doença é a febre alta, de início abrupto, que costuma durar de dois a sete dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele.

Já a gripe é uma infecção respiratória causada pelo vírus Influenza, mais comumente transmitido durante o período do inverno. Os sintomas geralmente aparecem de forma repentina, como febre, dor de garganta, tosse, dores no corpo e dor de cabeça. Geralmente, tem resolução espontânea em aproximadamente sete dias, embora a tosse, o mal-estar e a fadiga possam permanecer por algumas semanas.

Em caso de suspeita e agravamento de sintomas que sugerem infecção por dengue, a recomendação é procurar uma unidade de saúde para diagnóstico médico. É possível realizar testes para identificar a exata enfermidade e fazer o tratamento adequado, sendo que o diagnóstico correto só pode ser feito pelo médico.

O infectologista do HUB reforça que no caso de suspeita de ambas as doenças é importante evitar a automedicação. "É extremamente importante buscar orientação médica para saber exatamente quais medicações podem ser tomadas e receber a prescrição da hidratação, que é parte fundamental do tratamento da dengue. Os anti-inflamatórios não podem ser utilizados na infecção pela dengue porque eles pioram a evolução da doença", explicou André Bon.

Ele explica que para a Influenza e a Covid-19 há tratamentos específicos com medicações para combater esses vírus, enquanto para a dengue há apenas tratamentos sintomáticos com medicamento para dor, febre e hidratação. E destaca que, por isso, a busca pelo atendimento médico é importante para ter a orientação adequada.

Combate ao mosquito causador da dengue

A melhor forma de combater a dengue é impedir o nascimento do mosquito. Para eliminar criadouros é importante adotar medidas como: manter a caixa-d'água bem fechada; amarrar bem os sacos de lixo; colocar areia nos vasos de planta; guardar pneus em locais cobertos; limpar bem as calhas da casa; e esvaziar garrafas PET e potes vazios.

Confira as características detalhadas dos sintomas da dengue e da gripe:

Dengue

• Febre alta;
• Dor no corpo e nas articulações;
• Dor atrás dos olhos;
• Mal-estar;
• Dor de cabeça;
• Manchas vermelhas no corpo.

Os sinais de alarme da doença são caracterizados principalmente por:

• Dor abdominal intensa e contínua;
• Vômitos persistentes;
• Acúmulo de líquidos;
• Sangramento de mucosa;
• Irritabilidade.

Gripe

• Febre;
• Coriza;
• Dor de garganta;
• Tosse;
• Dor no corpo;
• Dor de cabeça;
• Dores articulares;
• Diarreia;
• Vômito;
• Fadiga;
• Prostração;
• Rouquidão;
• Olhos avermelhados e lacrimejantes.

* Com informações do Ministério da Saúde

Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Bio Caldo - Quit Alimentos