Bio Caldo - Quit Alimentos

Emater e Equatorial Energia inauguram usina solar fotovoltaica

Usina fotovoltaica construída na sede da Emater teve investimento de R$ 1,3 milhão e vai gerar uma economia de R$240 mil por ano (Foto: Emater)
Usina fotovoltaica construída na sede da Emater teve investimento de R$ 1,3 milhão e vai gerar uma economia de R$240 mil por ano (Foto: Emater)

Parceria leva inovação e economia aos cofres públicos com geração de energia fotovoltaica


Por Juliana Carnevalli - Agência Cora Coralina

A Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), em parceria com a Equatorial Energia, inaugurou uma usina de energia solar fotovoltaica instalada na sede da agência, nesta terça-feira (02/01).

Com a iniciativa, a Emater prevê uma economia de cerca de R$240 mil por ano com contas de energia elétrica. Atualmente, para manter toda a estrutura da sede, o consumo de energia custa aos cofres públicos uma média de R$ 24 mil mensais.

"Com a usina fotovoltaica em funcionamento, nós vamos ter uma redução de custos significativa. Isso representa inovação, tecnologia, mas principalmente economia para os cofres públicos do nosso estado", enfatizou o presidente da Emater, Rafael Gouveia.

Além disso, a iniciativa também ajuda a difundir a utilização de soluções inovadoras com sistemas de produção por meio do uso da luz solar e promove o consumo inteligente e eficiente de energia.

"É uma grande satisfação começar o ano com uma entrega dessa magnitude em parceria com a Emater e o Governo de Goiás. Estamos muito felizes por entregar mais uma obra que representa economia de recursos públicos", comemorou o diretor da Equatorial, Carlos Eduardo.

Usina fotovoltaica

Na construção da usina fotovoltaica, que consiste em uma produção de energia elétrica por meio da captação e conversão de radiação solar em eletricidade, a Equatorial investiu R$ 1,3 milhão. Em contrapartida, a Emater realizou as adequações necessárias no prédio e a instalação de lâmpadas de led, com o investimento de cerca de R$ 500 mil.

O projeto faz parte do Programa de Eficiência Energética da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e visa reduzir o desperdício de energia elétrica, pela redução do consumo de energia elétrica e da demanda retirada da ponta.

Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
Bio Caldo - Quit Alimentos