Aprenda a ficar calado

Falar algo que não é apropriado ou em momentos inadequados pode lhe prejudicar. Talvez você já saiba disso, mas não consiga praticar. Confira o que fazer

Você já falou mais do que deveria em algum momento e se prejudicou? Pode ser que já tenha passado por uma situação constrangedora porque não soube ficar calado: fez um comentário sem importância para alguém, uma brincadeira fora de hora ou contou algo pessoal e depois se arrependeu. 

A palavra é um maravilhoso instrumento de comunicação. Mas, quando usada de maneira inapropriada, pode trazer prejuízos. Quantos funcionários já perderam o emprego porque falaram mal da empresa? Quantos relacionamentos foram prejudicados porque os cônjuges discutiam mais do que ouviam? E o que dizer de amizades que naufragaram por causa de uma palavra dita na hora errada?

A psicanalista Andréa Soares Camargo Mota diz que muitos problemas poderiam ser evitados se as pessoas pensassem antes de falar. “Quando se faz uma reflexão antes de dizer algo, muitas coisas desnecessárias deixam de ser ditas. No entanto, quando se fala intempestivamente, a palavra pode acabar desunindo, afastando pessoas e destruindo laços”, aponta.

A especialista explica que nem sempre é fácil conseguir ficar quieto, mas que a mudança de postura depende de esforço pessoal. “É claro que há momentos em que é difícil se conter. Mas, às vezes, é melhor se segurar, respirar fundo e somente escutar. Só depois expor seu ponto de vista”, aconselha.

Ela lembra que o ato de ficar calado também vale para as redes sociais. “Hoje, muitas pessoas expõem a intimidade na internet, o que traz inúmeros problemas. Evite contar muito sobre a sua vida e fazer comentários desnecessários no perfil dos outros”, recomenda.

A hora de silenciar

Há inúmeras situações em que o melhor é ficar calado. Uma delas é quando você ouve uma fofoca. Mesmo que a conversa pareça divertida, não caia na besteira de também falar dos outros.

A especialista dá a seguinte orientação: “evite fazer comentários. Se estiver perto e tiver que escutar, apenas ouça. Se puder sair de perto, melhor. Caso lhe perguntem sua opinião sobre a pessoa criticada, diga que não quer dizer o que não sabe. Mesmo que você fique fora do contexto, depois se sentirá melhor por não ter compartilhado da fofoca”, destaca.


Outra situação que comumente ocorre entre pessoas que têm a fama de falar demais é dizerem que sabem muito sobre algum assunto. Andréa diz que o “falante” tem necessidade de reconhecimento e, por isso, acaba expondo o que sabe em momentos inadequados. “Ele gosta de sair gritando aos quatro ventos qual a melhor coisa a fazer em determinada situação. Só que, geralmente, faz isso sem necessidade”, revela.

Agora, se você gosta de opinar sobre algum assunto mesmo quando o desconhece, avalie os riscos que seus comentários podem gerar. “É melhor calar a se pronunciar só porque não quer ficar como um ‘peixe fora d’água’.”

A especialista alerta que falar da intimidade também é muito arriscado, pois, quando expõe situações particulares, você pode receber comentários desagradáveis. “Se você é daqueles que contam tudo o que acontece, suas palavras podem ser usadas contra você. Por isso, não exponha momentos pessoais. Eles só dizem respeito aos envolvidos”, orienta.
Quando um fala o outro escuta

Muitas vezes passamos por situações em que temos vontade de falar tudo o que vem à nossa mente sem nos importarmos com quem está ouvindo. Nessas ocasiões, o melhor a fazer é ficar calado e se retirar de uma possível discussão. “É preciso parar de falar, pensar claramente e com calma, para depois expor o seu ponto de vista. Se agir pela emoção, ninguém conseguirá entender o outro”, adverte Andréa. 

Em qualquer tipo de relação, a psicanalista recomenda ouvir o que o outro tem a dizer, mesmo se você estiver certo. “Aceite o que o outro diz para não causar mais estresse ou destruir a relação. Futuramente, o outro vai perceber que estava errado”, diz.

Talvez, para você, o ato de ficar calado exija muito esforço e dedicação. Mas, se exercitar essas dicas, aos poucos mudará sua postura e assim poderá evitar diversos problemas. Você vai descobrir que no silêncio há também maneiras de se expressar e demonstrar o que sente. Basta praticar.

Ouça mais e fale menos

- Coloque-se no lugar do outro durante a conversa.

- Concentre-se na postura da pessoa.

- Evite interromper a fala da outra pessoa.

- Não faça pré-julgamentos antes de o interlocutor terminar de falar.

- Entenda antes de interpretar ou criticar.

- Faça o possível para levar em conta outras opiniões.

- Não fique ansioso com o seu momento de falar.