Subsecretário forja cárcere privado durante ocupação contra OS

O subsecretário de Educação, Marcelo Oliveira, e mais outros oito funcionários da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), tentaram forjar uma situação de cárcere privado

O subsecretário de Educação, Marcelo Oliveira, e mais outros oito funcionários da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), tentaram forjar uma situação de cárcere privado ao se trancarem dentro da sala do gabinete da secretária Raquel Teixeira, durante a ocupação da secretaria na noite desta terça, 26.

Por meio das redes sociais, o grupo disse estar preso e sendo ameaçado pelos estudantes. Falavam, inclusive, que alunos estariam 'espancando' as portas da secretaria e que teriam jogado "pó de extintor por baixo da porta”.

Também pelas redes sociais, entretanto, um vídeo mostrava exatamente o contrário: um estudante, sem máscara, batia na porta da sala onde estariam os funcionários trancados, garantindo que eles poderiam sair de forma “pacífica e tranquila”, e que a situação não se trata de um cárcere privado. 

Outro vídeo, postado nas redes sociais, também desmentia a versão do subsecretário. Nele, dois advogados do movimento, estão diante da porta, e também garantem que os funcionários podem sair da sala com “total segurança”.