Governador esnoba concursos e convoca 230 agentes temporários

A máxima de que decisão da Justiça é para ser cumprida não existe em Goiás
Em julho do ano passado, uma decisão liminar (embasada em lei federal) com sentença favorável proibiu que o governo continuasse contratando vigilantes temporários, mas a decisão não vem sendo respeitada. As secretarias de Planejamento e de Administração Penitenciária divulgaram edital de convocação de 230 agentes temporários para o sistema carcerário no Estado.

Concurso público não é, definitivamente, o caminho que o governador Marconi Perillo (PSDB) quer trilhar. O promotor Fernando Krebs, da 57ª Promotoria de Justiça de Goiânia, propôs na semana passada, uma Ação Civil Pública para obrigar o governo do Estado a realizar concurso público para contratação de 1.083 agentes de segurança penitenciária. 

Até aqui, porém, o governador Marconi Perillo e seus auxiliares tem desafiado sistematicamente as decisões judiciais, como ocorre também na convocação dos aprovados em cadastro de reserva do último concurso da Polícia Militar, em 2012.